PCGO prende em flagrante suspeito de cometer crime análogo à escravidão contra 11 funcionários em fazenda de Abadiânia

Foi verificado que os 11 funcionários estavam trabalhando em situações degradantes, sem equipamentos de proteção individual, sem receber, sem água potável e sem dia de descanso na semana

123

Nessa segunda-feira (26), após recebimento de denúncia anônima, a Delegacia de Polícia (DP) de Abadiânia empreendeu diligências até a zona rural para averiguar a ocorrência do crime de redução à condição análoga à de escravo. Foi verificado que os 11 funcionários estavam trabalhando em situações degradantes, sem equipamentos de proteção individual, sem receber, sem água potável e sem dia de descanso na semana na corta de eucalipto em uma fazenda.

De acordo com as declarações das vítimas, muitos trabalhavam na corta de eucalipto de chinelo e tinham que trabalhar aos domingos para que pudessem garantir o almoço e o jantar, sendo que, depois era cobrado o valor das refeições. Além disso, verificou-se que os alojamentos não possuíam camas, todos dormiam amontoados em colchões no chão, alguns destes eram feitos apenas de espuma.

As vítimas são do Maranhão e trabalhavam para manter a estadia e alimentação, visto que o empregador havia retido o documento e carteira de trabalho de todos com a promessa de assinar a carteira. Porém, nenhum deles recebeu salário e estavam lá porque não tinham para onde ir.

Diante disso, a autoridade policial deu voz de prisão ao empregador pelo crime de redução à condição análoga à de escravo. O autor foi encaminhado ao presídio. O inquérito policial será finalizado dentro do prazo legal.

Fonte: Polícia Civil-GO

 

 

Loading...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais

× Sugestão de pauta ou denúncias!