Operação Educare: Polícia Civil investiga suspeita de fraude no recebimento de álcool em gel pela Seduc

264

A Polícia Civil, por meio da Delegacia Estadual de Combate à Corrupção (Deccor), deflagrou, na manhã desta segunda-feira (21), a Operação Educare. A operação teve a participação de 57 policiais civis e cumpriu mandados judiciais contra 09 alvos (06 residências, sede de 01 empresa/pessoa jurídica e no almoxarifado e gabinete da Secretaria de Estado da Educação/Seduc). A Deccor investiga a compra com dispensa de licitação e contrato de 100 mil unidades de álcool gel 70% pelo valor total de R$ 1.865.000,00. Os fracos de álcool gel deveriam conter o sistema de válvula PUMP (mecanismo de bombeamento) e serem entregues integralmente no Almoxarifado Central da Secretaria.

A Deccor analisou os relatórios confeccionados pela Controladoria-Geral do Estado (CGE) e pela Superintendência de Combate à Corrupção da SSP e constatou as seguintes irregularidades e indícios de prática criminosa:

– A compra teria acarretado prejuízo de R$ 1.327.000,00 aos cofres públicos em decorrência da entrega parcial dos produtos, os quais também não dispõem da válvula PUMP, em que pese, na ocasião, os servidores da Seduc terem atestado o recebimento integral e lançado suas assinaturas no rodapé das notas fiscais;
– Há indícios de que os investigados fraudaram o recebimento, pois na ocasião apenas foi entregue metade dos produtos adquiridos e não possuíam o sistema de válvula PUMP, conforme apontado no relatório de vistoria técnica da CGE.
– Fiscais da CGE ainda encontram alguns lotes com data de fabricação posterior à lançada na formalização do recibo.
– O local de entrega foi diverso do estabelecido no Termo de Referência, que seria no Almoxarifado Central da Secretaria, mas que ocorreu na sede da SEDUC.
– Em compra similar, a Secretaria Estadual de Segurança Pública (SSP) comprou álcool gel 70% por R$ 5,38 a unidade, ao passo que a Seduc pagou R$ 18,65. A compra da SSP totalizou R$ 538.000,00. A da Seduc, R$ 1.865.000,00.
– Uma das três empresas que apresentaram orçamento estimativo de preço não atua na comercialização de produtos hospitalares, mas no ramo de organização de eventos.

A Operação Educare resultou na apreensão de celulares, computadores e inúmeros documentos. Duas pessoas ainda foram presas em flagrante delito pelo crime de posse ilegal de arma de fogo. (Informações da PCGO).

Loading...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais

× Sugestão de pauta ou denúncias!