HCamp de Goiânia registra alta médica número 150 com motorista do Samu

Um misto de alegria e emoção tomou conta de todos que seguravam balões e batiam palmas

112

O destino nos prega peças inimagináveis. Assim foi a trajetória de internação de um condutor de ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) no Hospital de Campanha para Enfrentamento ao Coronavírus de Goiânia (HCamp), unidade do Governo de Goiás. Na madrugada do dia 20 de junho, Everton Elias da Silva, 51 anos,  foi levado ao HCamp por um colega de trabalho, que também atua como motorista do Samu.

Casado com uma professora e pai de duas filhas jovens, ele deu entrada na unidade de saúde com os pulmões comprometidos e acometidos pela Covid-19. Ele, que trabalha no Samu há 16 anos e transporta tantos pacientes, foi assistido na unidade hospitalar após buscar atendimento em inúmeros hospitais da rede privada de saúde da capital.

A tarde de terça-feira, 23 de junho, foi celebrada pelos profissionais de saúde que comemoram a  alta médica de número 150 de paciente confirmado com a Covid-19 e que passou pelo HCamp de Goiânia. A equipe que acompanhou Everton Elias durante três dias de internação aguardou o condutor no corredor para aplaudi-lo, de pé. Um misto de alegria e emoção tomou conta de todos que seguravam balões e batiam palmas.

Com uma placa nas mãos, que evidenciava a vitória de ter superado a grave doença, Everton Elias, foi transportado até a Recepção do HCamp – onde era ansiosamente esperado por sua esposa, Eleuza Martins de Souza, e sua filha de 16 anos, Isabela de Souza Elias.

“Busquei ajuda em vários hospitais particulares e só consegui ser atendido aqui, onde eu só tenho a agradecer. Fiz exames de imagem e de laboratório, usei suporte de cateter de oxigênio. Recebi uma assistência excelente e humanizada. Desde a equipe da limpeza, enfermeiros, médicos, todos cuidaram muito bem de mim. Saí curado e restabelecido. Estou no Samu há muito tempo e nunca vi algo parecido, mas me sinto gratificado por poder transportar pessoas e ajudar a salvas vidas. Essa doença não é brincadeira, meus sintomas se agravaram rapidamente. Vamos ser conscientes e tomar os cuidados necessários para o bem coletivo”, alertou.

Protocolos internacionais

Aberto no dia 26 de março, o Hcamp de Goiânia foi a primeira unidade do Governo de Goiás inaugurada no Estado destinada para a assistência à população acometida pela Covid-19. Para a diretora-técnica do hospital e médica infectologista, Marina Roriz, a alta dos pacientes recuperados pelo coronavírus é sinônimo de êxito do trabalho desenvolvido por todos.

“Fazemos medicina com intuito de curar as pessoas e aliviar o sofrimento do próximo. Estamos diante de uma crise sanitária mundial avassaladora. Mas ver o Everton Elias saindo bem, pleno, recuperado, sem sequelas e retornando para o convívio da sua família é a nossa maior recompensa. Nós seguimos todos os protocolos de tratamentos preconizados pelas instituições internacionais que são referência na saúde. Além disso, temos uma equipe multiprofissional que passa por capacitações e simulações realísticas constantes. Isso é um diferencial enorme para nós e que impacta diretamente um atendimento seguro para os usuários do SUS”, avaliou a médica.

Atendimentos

Até esta quinta-feira, dia 25, o HCamp de Goiânia atendeu mais de 4,5 mil pessoas. Segundo o diretor-geral, Guillermo Sócrates, as equipes recebem treinamentos com simulações realísticas constantes. “É um momento difícil e delicado para todos. Mas focamos em capacitar os nossos profissionais com o que há de mais atual na literatura médica. Sempre humanizamos o nosso atendimento. A empatia está no DNA do nosso corpo clínico e isso me orgulha muito como médico e ser humano”, contou.

Comunicação da Secretaria da Saúde

Loading...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais

× Sugestão de pauta ou denúncias!