Ação do MP pede afastamento de vereador de Firminópolis flagrado recebendo rachadinha

115

O Ministério Público de Goiás (MP-GO), por meio da Promotoria de Justiça de Firminópolis, propôs ação contra o vereador Rafael Barbosa de Sousa, por atos de improbidade administrativa que resultam em enriquecimento ilícito. Em abril deste ano, o promotor de Justiça Ricardo Lemos Guerra já havia oferecido denúncia contra o vereador em razão dos mesmos fatos, que envolvem a prática de “rachadinha”. Leia no Saiba Mais detalhes da denúncia criminal.

No âmbito administrativo, o promotor requer o imediato afastamento do vereador do cargo, a suspensão dos seus subsídios e a decretação de indisponibilidade de bens. No mérito da ação é pedida a condenação do réu nas sanções do artigo 12 da Lei de Improbidade Administrativa, além do pagamento de indenização pelo prejuízo causado ao patrimônio moral da sociedade firminopolina.

De acordo com o promotor, “é incontroverso que o réu praticou atos que afrontam a Constituição Federal, posto que suas condutas caracterizam violação aos princípios da legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade, eficiência, economicidade e razoabilidade”.

Entenda
Conforme detalhado na ação, comprovou-se que desde o ano passado o vereador solicita vantagens indevidas a dois funcionários comissionados por ele indicados, para que repassem parte de seus salários, sob ameaça de que, caso não façam, serão exonerados.

Assim, em flagrante ocorrido no dia 5 de março, constatou-se que Rafael de Sousa estava exigindo e recebendo a vantagem indevida de R$ 1,4 mil do superintendente de Indústria e Comércio, Macoolin Kalkyn Rodrigues Maciel, cujo salário mensal é de R$ 2,5 mil. O vereador foi preso em flagrante e está mantido em prisão domiciliar, com monitoramento eletrônico por meio de tornozeleira.

Maxwell Alves Ferreira, que ocupava anteriormente o cargo de superintende de Indústria e Comércio, afirmou que também repassou, durante o período que esteve na função, parte do salário ao vereador. Maxwell foi exonerado do cargo quando se opôs a repassar parte do valor exigido.

Loading...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais

× Sugestão de pauta ou denúncias!