Caiado: Decreto de Bolsonaro sobre academias não será considerado em Goiás

4

O governador Ronaldo Caiado afirmou nesta terça-feira (12/5) que Goiás não vai seguir o decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro que inclui academias de ginástica, cabeleireiros, barbearias e salões de beleza como atividades essenciais durante a pandemia do novo coronavírus. “Isso aí não será considerado por nós no nosso decreto”, pontuou durante live transmitida pelo jornal O Popular.

 

Atualmente vigora no Estado um decreto que flexibiliza o funcionamento de salões de beleza e barbearias, mas com apenas 50% de sua capacidade e atendendo a uma série de medidas de prevenção ao novo coronavírus.

 

Caiado disse que prepara um novo decreto com regras mais rígidas, mas não confirmou quando será publicado. A tendência é voltar a restringir as atividades comerciais, liberando somente serviços essenciais, como supermercados, farmácias e indústrias alimentícias. Tal medida, indicou o governador, tem como objetivo retomar melhores índices de isolamento social.

 

Em março, Goiás figurou entre os estados que mais respeitaram o período de quarentena. No entanto, no último sábado (9/5) a empresa In Loco apontou média de 37,4% no Estado, o pior índice do País.

 

Segundo Caiado explicou, esses desrespeitos às medidas de distanciamento refletem na curva de contaminação por covid-19, e contribuem negativamente para uma sobrecarga do sistema de saúde. Os efeitos são sentidos a cada 15 dias, e esse será o mecanismo que o governo estadual deve utilizar para estudar novas medidas.

Loading...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais

× Sugestão de pauta ou denúncias!